junho 14, 2024

Dicas de Como fazer a Sua redação no Enem

Dicas de Como fazer a Sua redação no Enem 1

Oi pessoal! Bom dia, boa tarde e boa
noite para quem estiver assistindo. Para quem não me conhece, meu nome é Lucas Felpi e esse daqui é meu canal. E hoje vai ser o segundo vídeo da sequência Redação
do Zero, para quem não sabe nada de redação do Enem, para quem quer aprender
redação do Enem do zero, sem saber nada, sem nenhum pressuposto. No vídeo de
hoje, a gente vai ensinar toda a estrutura da redação do Enem, como fazer
uma redação do Enem, para quem não sabe escrever a redação do Enem mesmo. Vou
ensinar sobre toda a estrutura, como escrever cada parágrafo, o que é a tese, a introdução, a proposta de intervenção, tudo. Vale ressaltar que a parte mais
importante da redação do Enem, no sentido do que vale mais ponto, é a técnica da
escrita. Não é tanto o conteúdo, mas sim a técnica de como você escreve, qual a
estrutura… Não adiantaria você escrever um texto super bem feito de argumentação
sem ter estrutura correta, porque é isso que é avaliado na grade do Enem. Se você
entender e aplicar essa estrutura daqui que eu vou ensinar no vídeo, você já vai
garantir boa parte da sua nota de redação. A gente ainda vai tratar aqui de conteúdo e
argumentação, mas a estrutura é fundamental para ter uma boa nota no
Enem. E eu vou ensinar aqui a estrutura perfeita, ideal da redação do Enem, que os
corretores esperam ver no seu texto, eles já estão mais acostumados, então se eles
verem o seu texto eles já vão avaliar mais facilmente. E vou dar como exemplo
as redações da cartilha de redações nota 1000, então são todos os textos
nota 1000 que usaram essa mesma estrutura. É uma estrutura padrão, sim, e
que os corretores adoram ver, porque é muito mais fácil pra eles corrigirem.
Recomendo muito depois de ver esse vídeo irem na cartilha e lerem algumas redações pra vocês entenderem o que eu tô falando, como aplicar essa estrutura e como ela
funciona. Bom, primeiro de tudo, o gênero da redação do Enem é o gênero
dissertativo-argumentativo. Como ele funciona? O que é? É um tipo de texto, em
prosa (não é poesia com estrofes), em que você vai discutir um tema atual, discutir e
argumentar sobre ele. Você tem que ter um ponto de vista, um posicionamento no
texto, e argumentar a favor dele. Você não pode ficar em cima do muro, você não pode falar que tem lados positivos e negativos, você tem que defender um lado só, e ter uma opinião forte. Mas você também não pode usar a primeira pessoa. Você não pode
falar “Eu acho que…” “Na minha opinião…” “No nosso país…” “Na nossa realidade…”. Não pode usar a primeira pessoa nem do singular, “eu”, ou no plural, “nós”. Não usa e presta muita
atenção, porque isso é um treinamento. É difícil, eu demorei muito para pegar isso,
mas você vai conseguir, sim, não usar “eu” ou “nós” na sua redação e vai conseguir se
posicionar também, falar sua opinião. Como que eu vou falar minha opinião sem falar “eu”?
Você vai ter que falar sua opinião implicitamente. Por exemplo, você vai falar
“Percebe-se que faltam recursos” ao invés de falar “Eu acho que faltam recursos”. Ao invés de falar “Na minha opinião, falta iniciativa”, você vai falar “Vê-se que
falta iniciativa”, sempre usa outras formas de falar o que você quer
falar, falar sua opinião, sem usar “eu”. Beleza? Deu para entender o que é o
gênero? Fica com isso na cabeça, porque vai ser muito importante e tem que
treinar bastante não usar a primeira pessoa nesse texto, o gênero
dissertativo-argumentativo, que é o texto do Enem e é o texto da Fuvest também.
E agora assim, como é a estrutura da redação do Enem? A estrutura da redação do Enem
é constituída de basicamente 4 parágrafos. Você poderia também fazer
3 ou 5, mas o ideal é 4 e pensa em 4, fecha 4. É o que todas as
redações nota mil da cartilha usaram também, 4 parágrafos, então é o ideal
que eu recomendo e vou sugerir em todos os vídeos. Esses 4 parágrafos são:
Introdução, Desenvolvimento 1, Desenvolvimento 2 e Conclusão.
Basicamente isso, e vamos passar por cada parágrafo. Na Introdução, você vai fazer
2 coisas: apresentar o tema e se posicionar, falar qual é a sua posição,
seu ponto de vista, a sua opinião. No Enem, vai ser dado um tema para você escrever
a sua redação, né, uma proposta de um tema e você vai ter que apresentar esse
tema. Você tem que deixar na cabeça, pensar que o corretor não sabe qual é o tema,
ninguém que tá lendo o texto já sabe qual é o tema, e você vai ter que
apresentar esse tema, explicar por que ele é importante e trazer ele para o texto. Não
pode só tirar na cabeça, como falar “Esse tema é importante”. Você vai ter que
falar alguma coisa para introduzir o tema. Como que eu recomendo, que eu sempre fiz: começar com alguma coisa para puxar
o tema. Por exemplo, um livro, uma série, um filme, uma notícia recente, e aí você puxa o
gancho para esse tema, mas você vai introduzir com alguma coisa que
aconteceu, alguma coisa que existe já, e aí você vai trazer para esse tema, para você
poder introduzir ele. Se você tá confuso em como fazer isso, corre lá no meu Instagram @lfelpi que tem vários posts com exemplos de introdução, usando séries, filmes,
livros e mostrando como você pode puxar o gancho para o tema sem ter que tirar
ele do nada no começo do texto. Depois que você apresentou o tema e
contextualizou, deu esse contexto usando uma série, uma notícia, alguma coisa no começo da introdução, você vai falar a sua opinião, e aí que é a tese. A tese é a última
frase da introdução, a última frase do primeiro parágrafo, e por que que tem que
ficar ali a sua opinião, essa tese? Porque os corretores já sabem disso, os
corretores estão procurando a sua opinião na última frase do primeiro
parágrafo, então coloca ela ali e vai facilitar muito a correção, vai te dar
muito mais ponto, porque eles estão pegando o que eles
querem. Eles querem mesmo é ver a sua tese, a sua opinião na última frase do
primeiro parágrafo. E o que é a tese? É você falar qual seu posicionamento.
Depois que você apresentou o tema, você vai defender alguma coisa relacionada a
ele, então você vai pegar como se fosse aqui um círculo gigante do tema, você vai
selecionar alguma coisa para falar dele e vai colocar ali, na última frase do
primeiro parágrafo, o que é que você vai discutir, o que é que você vai defender
e argumentar sobre. Desenvolvimentos 1 e 2 são os dois
parágrafos para você defender com argumentos o que você falou que era sua
opinião lá na tese. E é muito importante que você faça argumentos com base em
alguma coisa, com repertório e que não seja tudo na sua cabeça. Isso perde muito
ponto, você tem que argumentar usando mesmo filmes, filósofos, sociólogos,
eventos históricos, fatos, dados estatísticos, você tem que ter alguma
base, alguma fonte para o você fala porque senão vira só raciocínio da sua
cabeça sem nenhuma base na realidade. Então você pode usar dados da coletânea, filmes
que você viu, filósofos que você estudou, mas usa alguma coisa. Pelo
menos 1 repertório desses tipos em cada parágrafo, 1 em cada parágrafo. Como que eu vou saber tanta coisa para falar em 2 parágrafos, como que eu vou
dividir coisa para 2 parágrafos? Uma dica muito boa quando você estiver
pensando na sua redação, antes de escrever, separa 2 pontos para
discutir sobre aquele tema. Por exemplo, se fosse o tema do ano passado,
“Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, e você pensou em 2 pontos: a
falta de cinemas em espaços mais pobres e os ingressos muito caros. Você tem esses 2
pontos, divide eles nos 2 parágrafos, aborda um em um parágrafo e outro no
outro parágrafo. E aí, para melhorar o seu texto, você coloca esses 2 pontos
na sua tese, lá no final da introdução. Você vai fazer a sua tese mencionando
explicitamente esses 2 pontos nessa ordem, na ordem em que eles vão vir,
porque assim, quando o corretor vai ler a sua tese, ele já entende o que vai
vir nos dois parágrafos e facilita muito a correção, os corretores adoram quando tem
isso. Na conclusão, você vai fechar o seu texto com uma proposta de resolução do problema.
Parece difícil porque a gente não sabe resolver esses problemas, mas não se
preocupa, nem o governo conseguiu resolver esses problemas ainda, então você
não é obrigado a fazer isso numa prova. Você vai só ter que colocar uma proposta
para ajudar a melhorar a situação. Por exemplo, uma nova lei, uma campanha de
ONGs, uma mudança nas escolas, uma criação de novos espaços nas comunidades…
Você vai ter que pensar em alguma coisa que poderia ajudar na situação, mas não
precisa resolver o problema completamente. Você só precisa fazer 1
proposta de intervenção, não cai nessa de fazer mais propostas, faz só 1, e essa
proposta tem que ter 5 fatores pra ser completa: ela tem que ter o Agente (quem vai fazer), a Ação (o que vai ser feito), a Finalidade (pra que tá sendo feito,
por quê), o Modo/Meio (como vai ser feito) e um Detalhamento (você vai ter que aprofundar um pouco mais). Precisa desse detalhamento. Ação e Agente é fácil: você
coloca “Fulano vai fazer tal coisa”. Finalidade também é fácil, porque você
pode sinalizar com o conectivo “para que”: “Para que melhore tal coisa, …”, pronto, tá
aí a finalidade. O Modo/Meio é fácil também porque você pode colocar “por meio de”: “Por meio de investimentos”, “Por meio de iniciativas”, já deu para entender que
esse é o Modo/Meio. E o Detalhamento é só você continuar falando um pouco mais da
proposta. Continua falando sobre ela, aprofunda um pouco algum detalhe sobre
ela, e o corretor vai perceber que ali tá o detalhamento. No final, na última linha do
texto, depois da proposta, fecha o seu texto com uma frase de efeito, fala a sua
opinião de novo, retoma alguma coisa do texto, e aí vai ficar fechado com chave
de ouro para você arrasar na redação. E essa é a estrutura ideal da redação do
Enem, essa é a estrutura que os corretores são ensinados a procurar, a avaliar, então
eles são treinados para ver redações desse tipo. Eles tem só 3 minutos para
corrigir a sua redação, então quanto mais fiel você a essa estrutura, melhor vai
ser a sua pontuação, porque eles estão procurando isso. Beleza? Eu espero que vocês tenham entendido todos esses conceitos, toda essa estrutura, e que consigam aplicar. Lembrem de
ler a cartilha de redações nota 1000 porque você vai ver toda essa estruturas aplicada
em vários e vários textos, 44 textos nota 1000 só com o tema do ano passado. Você
vai ver tudo bonitinho do que eu falei aqui no vídeo. E eu esqueci de
falar lá no começo do vídeo, mas título é opcional na redação do Enem, você não
precisa de um título. Então se for só demorar mais tempo para pensar num título, e
você não tiver uma vida boa, ou não foi muito criativa, não coloca. Só se tiver uma
ideia que realmente vá agregar muito ao texto, mas ninguém quase nunca coloca.
As redações nota mil quase nenhuma tem, uma lá na cartilha do ano passado, do Enem
2018, teve, mas é muito pouco, não precisa perder tempo ou perder linhas colocando
um título. É isso, não vou prolongar muito mais esse vídeo, vou deixar coisa
para os próximos. Espero que estejam gostando dessa série de vídeos de
Redação do Zero. Coloca aqui nos comentários o que você tá achando, o que você
achou desse vídeo. Deixa seu like se você gostou, ou dislike se não gostou. É isso, vejo
vocês no próximo vídeo, beijão, muito obrigado e até a próxima!

4.8/5 - (291 votes)